segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Como trocar a corrente de comando

Esse trabalho de troca de corrente de comando é recomendado para alguém que tenha algum conhecimento de mecânica (princpípio de funcionamento do motor, ao menos) para que torne possível a realização sem complicações. Tentarei ser o mais claro possível. Tal serviço descrito aqui, destina-se a todos os passos necessários para se trocar uma corrente de comando com o uso mínimo de ferramentas, e nenhuma especial. Algumas etapas mais simples serão omitidas por não haver a necessidade de serem desmonstradas (exemplo: remoção dos plásticos laterais, banco e tanque).

E antes de mais nada, uma boa lavada na moto (mais exatamente o motor, vai muito bem). Forre com jornal embaixo da moto para não fazer muita sujeira, vai pingar óleo na abertura das tampas do motor e parafusos. Drene o óleo do motor, enquanto isso, proceda a remoção dos plásticos laterais, banco e tanque. Depois solte a haste de acionamento do freio traseiro, a mola de retorno e a mola de acionamento da luz de freio. Retire também o estribo do lado direito e escape completo, assim teremos

todo o acesso a lateral direita do motor. Tente soltar o cabo de embreagem com as mãos, se não conseguir, um alicate resolve o problema dando mais folga ao cabo nos parafuso de ajuste.





Remova o filtro de óleo, solte o parafuso de fixação do conducto de óleo e guarde bem as arruelas de vedação de bronze. Escoará óleo dos dutos do radiador e do filtro de óleo. Há uma em cima e uma embaixo, a de baixo pode ser imperceptível, com uma chave de fenda, retire-a logo para não perder. Solte os conductos de óleo que vão para o radiador e cuidado também para não perder esses anéis de vedação. Observe na próxima foto, meu dedo apontando para a alavanca de acionamento da embreagem,

observe a posição que ela fica antes de sua abertura, pois deverá segurá-la nesse ponto para conseguir fechar a tampa, pois há uma mola de retorno aí. Entederá melhor ao remover a tampa. Remova todos os parafusos ao redor da tampa do motor, note que há parafusos de comprimentos diferentes, isso não é um problema, intuitivamente saberás a que lugar pertence cada um no momento da montagem. Coloque a mão direita em cima da parte mai saliente da tampa, onde tem o nome Honda e com a mão esquerda force a haste de embreagem para cima, como se fosse acioná-la, assim a tampa descola e ela ficará em suas mãos. A mão direita forçando esse ponto da tampa é para tentar fazê-la sair uniforme. Vá com calma para não rasgar a junta. Se for a original, é muito provável que saia inteira, ela só é colada em uma face (na tampa). Se a junta sair inteira, não precisarás trocá-la, já abri esse lado do meu motor mais de 4 vezes e nunca precisei trocar a junta. O motor limpo também auxiliará para que não suje a junta com terra e areia que possam estar ao redor e contaminar a junta.





Aí está uma parte nova do seu motor (novidade para quem nunca o abriu). Retire uma tela de filtragem (apontada na foto) com um alicate e faça uma limpeza na mesma onde ela fica. Normalmente se encontra limalha de alumínio, ocasionado pelas batidas da corrente de comando nas paredes do motor. Remova essa haste central de acionamento da embreagem e os 4 parafusos das molas. Esses 4 parafusos retire folgando-os aos poucos, por igual, para não causar nenhum dano/empeno a essas peças.





Observe a tampa, a minha junta saiu inteirinha, não vou trocá-la. Não sei se no manual da Honda recomenda a troca, quem for mais criterioso, troque, eu não vou mecher no que está quieto. Observe também a haste de acionamento da embreagem antes que ela saia da posição. Ela tem uma cava na ponta que é onde vai se encaixar na haste que fica no meio do conjunto da embreagem, por isso a preocupação de posicionar a haste na em determinada altura para que consiga encaixar a tampa e também não esquecer se a mola de retorno da haste está encaixada direitinho.





O próximo passo não é o método correto de remoção da embreagem, mas nunca causei danos por essa prática. Infelizmente em algumas oficinas se faz assim e você nem imagina como desmontaram sua moto. Com duas chaves de fenda finas, encaixe uma em cima e outra embaixo entre a carcaça da embreagem e o platô. Agora com um pedaço de alguma haste fina de alumínio, use para travar as engranagens e assim possibilitar que se folga o parafuso do conjunto da embreagem. Para folgar a porca da

embreagem, a haste é colocada entre as engrenagens por baixo, e por cima para folgar a porca do eixo do virabrequim (também conhecido como eixo de manivelas ou cambota. A porca do conjunto da embreagem é travada no eixo, mas não se preocupe com isso, retire a porca normalmente no sentido anti-horário com uma chave de 24mm. Apenas folgue, não retire ainda, pois terá de aproveitar o conjunto da embreagem no lugar para soltar a porca do eixo do virabrequim, a diferença é que vai travar as engrenagens por cima.





Nesta imagem você notará uma aste entre as engrenagens posicionada para travá-las por cima, possibilitando a remoção da porca do eixo do virabrequim. Você talvez se perguntatá por que uma haste de alumínio? A resposta é simples, para reduzir a possibilidade de a que essa prática marque, risque, quebre, empeno ou cause outro tipo de dano nos dentes das engrangens. A carcaça da embreagem custa em torno de R$ 230,00 e normalmente não se encontra para pronta entrega. Então faça a gambiarra bem feita para não ter problemas.





Com as porcas frouxas, agora retire-as, comece com a da embreagem. Note que há duas arruelas e a ordem de remoção é: porca, arruela menor, arruela maior. Não esqueça disso na hora de montar, apesar que não é o fim do mundo se invertê-las, mas faça como manda o figurino. Olha a foto aí só para memorizar.





Retire o conjunto completo da embreagem, não precisa remover peça por peça, poupe trabalho. Observe um espaçador que pode cair quando puxar o conjunto, deixei-o dentro da carcaça da embreagem. Passamos da parte mais difícil, na verdade não é difícil o serviço, é trabalhoso, principalmente sem a ferramenta especial para travar a embreagem. Agora é só técnica.





Abra agora a tampa do cabeçote do motor e retire esses dois parafusos do outro lado do motor. O maior é com uma chave Allen de 10mm e o menos com uma de 5mm. O maior, no centro da tampa, serve para girar o motor (com uma chave de 17mm) e o menor serve para ver o tempo do motor. Colocar o motor "em tempo", nada mais é que uma posição de referência para sincronizar a posição do pistão com a posição do comando de válvulas. Antes de desmontar o conjunto, é interessante você colocar o motor em tempo para ter uma idéia melhor de como o conjunto estará alinhado antes de desmontar e deverá ficar igual após trocar a corrente. Gire o motor até aparecer a marcar T com um corte alinhado a corte do parafuso superior, como na foto abaixo.





Observe agora como ficará alinhado o comando de válvulas com o motor "em tempo". As marcas IN e EX estarão paralelas a carcaça do motor nessa ordem e nos dois eixos de comando. Nessa posição de todo o conjunto, o pistão encontra-se na posição mais superior de seu ciclo e o comando de válvulas não aciona nenhuma delas. Observe a posição do mancal do eixo de comando que você soltar para que fixe-o na mesma posição novamente. É só colocá-lo com as letras na mesma posição do eixo de comando que ficou.





Retire agora o acionador do tensor da corrente de comando. Só fiz uma foto depois de removê-lo, mas é simples. São dois parafusos com sextavado de 8mm, precisará de uma chave L ou de encaixe. O acesso a esses parafusos é muito apertadinho, eu aproveitei pra subsituí-los por parafusos de chave Allen, facilita demais o serviço. Antes de removê-lo, se o seu acionador for original, tente abrí-lo com uma chave Philips (vulgo estrela) e com uma chave de fenda, e gire no sentido horário até travar (facilitará a remoção). Se for um com cremalheira (trava ou catraca como também chamam), abra a tampa com uma chave de fenda e retire a mola, agora prossiga a remoção. Caso não consiga retirar a tampinha para travar o original ou a mola do paralelo, retire os parafusos aos poucos, folgando-os por igual.





Retire os parafusos indicados na foto, precisará soltar apenas um eixo de comando para conseguir retirar a corrente de comando. Observe mais uma ver a posição dos ressaltos do eixo de comando, neste ponto (Ponto morto superior) eles não pressionam nenhuma válvula. Eu costumo soltar o comando de válvulas de escape.





Feito isso, solte a corrente de comando retirando um dos eixos de comando, passe para a parte de baixo, retire a porca do eixo do virabrequim, a engranagem principal e a engrenagem da corrente. observe a ordem as peças para remontá-las igualmente, e tenha paciência que essas duas engrenagens só entram em uma única posição na estria do eixo.





Coloque a corrente de comando nova por cima, deixe-a em cima do eixo de comando que ficou no cabeçote, encaixe embaixo ao mesmo tempo que entre a engrenagem dela, após isso, siga para a colocação do eixo de comando de escape. Com paciência vá acertando a posição até ficar alinhado com a carcaça. Não esqueça de verificar se o motor continua em tempo! Após recolocação dessas peças vamos verificar se tudo confere. Com o motor em tempo, pressione com com um dedo onde fica o acionador do tensor da corrente de comando para esticá-la, agora verifique se os comandos de válvula estão enquadrado na posição certa.





Encaixe a engrenagem principal e porca, lembre-se da ordem de desmontagem e faça o inverso. Dê mais uma observada se a corrente de comando está bem encaixada nos tensores.





Recoloque o conjunto de embreagem inteiro como você retirou, caso se enrole para encaixar o conjunto, demonte-o e vá peça por peça na ordem: Carçaca da embreagem com espaçador, arruela de encosto, platô, alterne um disco de embreagem depois um espaçador até encaixar os 6, o último tem um encaixe diferente, depois o cubo da embreagem. Encaixe e arruela maior, a arruela menor e a porca.





Se o seu acionador for original, mantenha-o travado até reinstá-lo, se for com cremalheira, recue a ponta dele para recolocá-lo. Aqui eu limpei as bases e usei cola de junta para evitar vazamentos. Observe que agora são dois parafusos allen que coloquei para facilitar o serviço (opcional). Após os parafusos apertados, destrave-o com chave de fenda (original) ou coloque a mola e feche (com cremalheira).





Agora vem aquela brincadeira chata denovo de fazer força. Trave as engrenagens e a embreagem com chave de fenda como foi para desmontar para apertar a porca do eixo do virabrequim e da embreagem.





Após apertar as porcas, trave a porca da embreagem na cava que tem no eixo da embreagem (eixo primário). Uma chave de fenda e umas pancadinhas com a chave de 24mm já resolve, não precisa ir atrás de um martelo.






Não esqueça de recolocar a tela de filtro que fica na parte inferior do motor. Coloque agora as molas da embreagem a placa e a haste de acionamento. O motor está praticamente pronto, é só fechar e pôr óleo. Então aproveite para verificar mais uma vez se está tudo certinho, inclusive o comando de válvulas em tempo com o motor.





Coloque logo o filtro de óleo. Antes de recolocar a tampa no lugar, verifique se a junta e a carcaça do motor estão limpas, passe uma estopa limpa para garantir e mãos à obra. Para fechar a tampa do motor, lembre-se da posição da alavanca de acionamento da embreagem, veja na foto que estou pre-acionando ela para poder encaixar, perceba que a mola de retorno empurra para baixo, se não sentir essa pressão, retire a tampa e observe se a mola está encaixada direitinho.





Recoloque os parafusos da tampa, aperte-os por igual. Após a tampa perfeitamente fechada, encaixe o cabo da embreagem e verifique seu funcionamento, ajuste se for preciso. Encaixe e parafuse os dutos do radiador. O duto de óleo em cima, lembre-se que é uma arruela de bronze por baixo e uma por cima, aperte bem. Recoloque o escape para ligarmos a moto e escutar o funcionamento do motor antes de terminá-la por completo. Aproveitei que a tampa do cabeçote está aberta, e despeje o óleo novo. É mais rápido e não precisará de funil. Feche o cabeçote e ligue a moto, a cuba do carburador está cheia, dá para funcionar o motor o suficiente para testá-lo, aproveite e tirando a moto do cavalete, encaixe alguma marcha com ela ligada para verificar se a embreagem funciona direitinho.





Ainda completarei esse tutorial com a descrição das ferramentas, tempo de serviço, peças necessárias e revisões para procurar erros de minha explicação e melhoramentos para facilitar o entendimento. Comentários são bem vindos para aprimorá-lo. Boa sorte a quem se aventurar.

Nenhum comentário: