Em 1994, o consumidor brasileiro foi “presenteado” com os primeiros carros populares com injeção eletrônica de combustível. Quatorze anos mais tarde, o sistema tecnológico finalmente chegou à categoria de baixa cilindrada das motocicletas, por meio da nova Honda Biz.
Um prêmio para os motociclistas? Na verdade, uma necessidade das fabricantes em se adequarem às exigências do Promot 3, rígido programa de controle da poluição do ar por motociclos e veículos similares que entra em vigor a partir de janeiro de 2009.
Motivos para a adoção do sistema à parte, a Biz 2009 foi apresentada nesta semana com a já aguardada injeção PGM-FI (Injeção Programada de Combustível), a principal novidade do modelo Cub pertencente à categoria Family da Honda, responsável por 10,9% do total de vendas da fabricante neste ano.
Com o aparato e um novo catalisador, a montadora conseguiu atender com folga à futura lei de emissão de poluentes e deixar a pequena moto mais ágil e esperta se comparada à versão anterior com carburador — sem os chamados “buracos” nas retomadas. Além disso, ficou 6,8% mais econômica, de acordo com seus criadores.
De forma resumida, a nova Biz evoluiu no quesito tecnologia e economia, as principais exigências levantadas em uma pesquisa da Honda com os consumidores. O visual ganhou alguns retoques, como a nova cor vermelho metálico, novo gancho de utilidades para carregar bolsas e sacolas, tradicionais grafismos e escudo frontal um pouco mais largo.
O pedal de câmbio teve seu desenho alterado, sendo possível fazer as reduções com o calcanhar. Para melhorar o conforto, foi adotado um novo assento e o acionamento da seta tipo “push-cancel”, mais prático para desligar o dispositivo.
No painel de novo design, encontra-se agora a luz de gerenciamento da injeção eletrônica, marcador de combustível, mas permanece sem um útil hodômetro parcial. Para melhorar a praticidade, a chave shutter-key (de bloqueio da ignição) está integrada à chave de ignição.
O motor segue o mesmo da geração 3, embora com pequenos ganhos. Trata-se de um monocilíndrico de 124,9 cm³, refrigerado a ar e capaz de produzir 9,1 cv de potência máxima a 7.500 rpm. A versão anterior atingia o mesmo índice aos 7.000 rpm. O torque segue em 1,06 kgfm, porém atingido nas 3.500 rotações, ante as 4.000 da antecessora carburada. A transmissão semi-automática e rotativa é de quatro velocidades.
No teste de força para subidas feito durante sua apresentação, a máquina mereceu nota máxima. Encarou um trecho inclinado com dois ocupantes de peso (mais de 250 kg sobre a cub) sem esforço. Tanto em tráfego contínuo como saindo de parada.
Com as modificações, a nova Biz ficou ligeiramente mais leve e, apesar dos avanços tecnológicos, sofreu pouca variação no preço. A versão básica (KS), com partida a pedal e freio a tambor na dianteira, aumentou R$ 126 para chegar aos R$ 5.147 (sem frete e seguro).
A série ES, com partida elétrica e freio a tambor, teve um acréscimo de R$ 143, custando agora R$ 5.854. Por fim, o modelo completo (Biz +), com freio a disco na dianteira, rodas de liga-leve e marcador de combustível e hodômetro digitais, ficou somente R$ 127 mais cara, vendida a R$ 6.480.
As vendas terão início na segunda quinzena de outubro, devendo atrair ainda mais o público feminino, responsável por 60% das compras, de acordo com a Honda. Para 2009, a estimativa é de que sejam comercializadas 240 mil unidades.
Ficha Técnica
Motor: OHC, monocilíndrico, 4 tempos, arrefecido a ar
Cilindrada: 124,9cc
Potência: 9,1 cv a 7.500 rpm
Torque: 1,06 kgfm a 3.500 rpm
Diâmetro e Curso: 52,4 mm x 57,9 mm
Alimentação: Injeção Eletrônica PGM-FI
Taxa de Compressão: 9,3:1
Partida: pedal (KS) e elétrica (ES e +); ignição eletrônica
Tanque: 4,0 litros
Transmissão: 4 velocidades, com embreagem centrífuga automática
Suspensão dianteira: Garfo telescópico
Suspensão traseira: Braço oscilante
Freio dianteiro: a tambor de 130 mm (KS e ES); a disco de 220 mm (+)
Freio traseiro: a tambor de 110 mm
Pneus e rodas dianteiros: 60/100 – 17M/C 33L
Pneus e rodas traseiros: 80/100 – 14M/C 49L
Chassi: Monobloco
Peso: 98 kg (KS), 100 kg (ES) e 101 kg (+)
Cores: amarela, preta, prata metálica e vermelha metálica (KS e ES), vermelha e cinza metálica (+)
Preço sugerido: R$ R$ 5.147 (KS), R$ 5.854 (ES) e R$ 6.480 (+)